Audiência Pública mostra gravidade dos problemas enfrentados por administrativos da segurança

Cinco categorias distintas, a mesma área, idênticas reclamações: a audiência pública promovida ontem (26) pela Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) para debater a valorização dos servidores administrativos da segurança pública deixou claro os problemas enfrentados pelos administrativos da área de segurança não podem mais ser ignorados. Os governantes precisam agir, e rápido.

Participante do evento, o SINPECPF, por meio do presidente Éder Fernando da Silva, apontou as ações que precisam ser tomadas na Polícia Federal. “Queremos a reestruturação da nossa carreira, a valorização dos nossos quadros e reforço do quantitativo”, pontuou o sindicalista.

Éder aproveitou a oportunidade para atacar o desvio de função de policiais para áreas administrativas, a terceirização irregular e o tratamento discriminatório muitas vezes praticado contra a categoria administrativa, a qual é oferecido “apenas o ônus, nunca o bônus”. Para mudar a situação, o presidente solicitou apoio dos parlamentares no convencimento do Poder Executivo em relação à reestruturação. “Acabo de receber a notícia de que nossa proposta de reestruturação já está com o diretor-geral da PF para ser assinada e encaminhada ao Ministério da Justiça. Agora, precisamos de todo o apoio para superar essa etapa e enviar o projeto para o Congresso Nacional”, revelou.

Quem também cobrou ações concretas foi a presidente da Associação Nacional dos Servidores de Apoio Logístico da Polícia Rodoviária Federal (Ansal), Rejane Maria da Rosa. “É de ações como esta audiência de que precisamos! Estamos cansados de ir ao Congresso receber ‘tapinhas nas costas’. Queremos apoio de verdade!”, protestou.

Representada pelo seu coordenador de recursos humanos Antônio Carlos Moriel Sanchez, a Polícia Federal participou do evento e reforçou seu interesse na reestruturação da categoria administrativa. Segundo o coordenador, há anos o órgão defende a demanda, que só não teria sido efetivada em razão da dificuldade do governo de enxergar e reconhecer as peculiaridades da categoria. “Se a Polícia Federal fosse autônoma quanto a isso, a alteração já teria sido realizada. O problema é que o Ministério do Planejamento entende que os benefícios que estamos buscando deveriam ser estendidos às demais carreiras administrativas, embora elas sejam totalmente diferentes”, argumentou.

Vice-presidente da CLDF e idealizador da audiência pública, o deputado distrital Wellington Luiz (PMDB), afirmou que “está na hora de as autoridades darem uma resposta à sociedade”. Ele garantiu que a casa encaminhará cobranças aos órgãos de segurança pública e aos governantes pedindo celeridade na análise dos pleitos da carreia administrativa.

Quem também reiterou seu apoio foi o deputado federal Rôney Nemer (PP-DF), que se comprometeu a lutar por uma nova audiência pública para discutir o tema, desta vez na Câmara dos Deputados e a cobrar o Poder Executivo. “O ‘não’ a gente já tem. Precisamos correr atrás do ‘sim’”, declarou. Representado por seu chefe de gabinete, o senador Hélio José (PMDB-DF) também ratificou seu apoio à causa.

Também participaram do evento o Sindicato da Carreira de Apoio às Atividades Policiais Civis do Distrito Federal (Sincaap/DF), a Associação dos Técnicos em Necropsia do IML-DF (Asten) e Comissão dos Servidores Administrativos do Sistema Penitenciário do Distrito Federal.

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar