Infraero reconhece carência de pessoal e analisa possibilidade de novo concurso

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) reconhece que está com carência de pessoal e começa a apurar a possibilidade de realizar um novo concurso. Com a concessão de cinco aeroportos (Guarulhos, Viracopos, Brasília, Galeão e Confins) e a desativação do aeroporto Augusto Severo, em Natal, a Infraero tem movimentado seu efetivo para atender as necessidades dos 60 aeroportos operados pela empresa. Atualmente, a empresa conta com 30.144 funcionários.

Do total de empregados, 17.358 são terceirizados, 36 comissionados e 12.750 são concursados. Além disso, 272 funcionários estão com idade que permite aposentadoria. De acordo com a assessoria da empresa, estão sendo realizadas revisões de processos e estruturas organizacionais, o que resultará na necessidade de ajustes no quantitativo de pessoal. Após a realização destes procedimentos será discutida a possibilidade de realização de novo concurso público.

Último concurso — A última seleção da Infraero foi realizada em 2011. Na época, foram oferecidas chances de cadastro reserva com cargos de níveis médio e superior em todo o país. As remunerações variavam de R$ 1.924 a R$ 4.839.

Os cargos de nível médio oferecidos foram os de profissional de engenharia e manutenção, de serviços técnicos, de navegação aérea e profissional de tráfego aéreo. Alguns cargos exigiram formação técnica em eletrônica, edificações, eletrotécnica, mecânica, topografia e segurança do trabalho, entre outros cursos. Já os cargos de nível superior foram os de analista superior I, II, III e IV. Puderam concorrer graduados em arquivologia, assistência social, biologia, comunicação social, pedagogia, psicologia, administração, direito, contabilidade, economia, arquitetura e engenharia, entre outros.

NOTA DO SINPECPF: Como a categoria bem sabe, a Polícia Federal celebrou convênio para receber parte dos recém demitidos da Infraero e esses profissionais passaram a atuar nos postos de fiscalização de Aeroportos . Em maio o sindicato encaminhou denúncias às autoridades competentes buscando colocar fim a tal absurdo. Esta notícia do CorreioWeb será agora adicionada à denúncia visando reiterar que o contrato foi um erro de gestão.

Fonte: CorreioWeb

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar