Ruben Figueiró critica tratamento do governo Dilma aos administrativos da PF

O senador Ruben Figueiró (PSDB/MS) pediu ao Ministério do Planejamento uma solução para os servidores da área administrativa da Polícia Federal. Em discurso no plenário do Senado na tarde de hoje (24) ele afirma que há quatro anos o Ministério estuda a minuta de um projeto de reestruturação da carreira administrativa, “mas até agora nada”.

Segundo o sindicato nacional desses servidores, a categoria recebe muito pouco e não tem perspectiva na carreira, porque hoje um servidor com 30 anos de trabalho recebe apenas R$ 500 a mais que um recém-empossado. Isso fez com que muitos servidores deixassem a Polícia Federal.

A autarquia, prosseguiu o senador, conta hoje com apenas 2,4 mil servidores administrativos, o menor contingente desde 1978. Ruben Figueiró acrescentou que, por causa da carência de pessoal, funcionários terceirizados têm feito o trabalho de servidores efetivos e muitos policiais foram desviados para a área administrativa.

– Delegados, peritos, agentes e papiloscopistas estão deixando investigar crimes contra a União para realizar tarefas como licitações e contratos, assessoria de imprensa, recursos humanos e tantas outras que não tem nada a ver com a verdadeira atividade policial federal –, denunciou o senador.

– Esses são exemplos que demonstram o descaso do Ministério do Planejamento para com Polícia Federal. Diante do exposto, fica clara a necessidade de mais servidores administrativos da Polícia Federal e de haver a valorização da carreira. É por isso que apelo para a Sra. Ministra Miriam Belchior, do Ministério do Planejamento, para que apoie essa causa e coloque um ponto final nos problemas aqui citados – apelou Ruben Figueiró.

O parlamentar observou que os servidores administrativos da Polícia Federal são pouco conhecidos da população porque atuam nos bastidores, garantindo o suporte necessário à atuação policial. Eles também atendem a população, como na emissão de passaporte, e realizam outras funções, como a fiscalização de empresas de segurança privada.

Figueiró também critica a demora do governo federal na regulamentação da indenização de fronteira instituída pela Lei 12.855/2013. “Um benefício já instituído está deixando de ser pago pela inação do Governo Federal, prejudicando o trabalho em regiões de difícil provimento”, observou.

Confira abaixo o discurso do senador (ele fala sobre a PF a partir dos 6’40”).

 

Com informações e imagem da Agência Senado.

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar