MJ: “Policiais devem atuar como a sociedade espera que eles atuem”

Cumprimento da lei e compromisso para com a sociedade. Esses foram os principais pedidos do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, feitos aos futuros policiais federais durante aula inaugural do curso de formação de escrivães, peritos e delegados, ocorrida na tarde de ontem (3). Para o ministro, o bom policial é aquele que honra sua missão e jamais coloca interesses pessoais e corporativos acima do interesse público. A colocação foi uma clara indireta às ameaças de greve que rondam a Polícia Federal.

Cardozo enalteceu o papel da Polícia Federal no Estado Democrático de Direito e alertou os futuros policiais federais sobre os riscos inerentes à profissão. Entre os perigos destacados pelo ministro estava a tentação do abuso de poder, que muitas vezes ocorre quando o policial coloca sua própria concepção de justiça acima das regras estabelecidas pela sociedade. “Não caiam nessa armadilha. Cumpram seus deveres fielmente e exerçam o papel que lhes foi delegado”.

Das palavras do ministro, lê-se claramente que ele deseja ver os futuros policiais atuando como polícia, afinal, é isso que a lei estabelece e é isso que a sociedade espera deles. O SINPECPF deseja o mesmo. A segurança pública carece de policiais e não precisa mais de desvios de função para a carreira administrativa. A regra é clara: policial deve fazer trabalho de polícia; administrativos se encarregam da atividade administrativa.

Homenagem aos professores – O diretor-geral, Leandro Daiello Coimbra, e o diretor da Academia Nacional de Polícia, Sérgio Lúcio Pontes, enalteceram o papel dos professores na formação dos novos policiais. “É um trabalho muitas vezes anônimo, mas sem a dedicação de vocês, o processo não seria possível”, afirmou o DG. Nunca é demais lembrar que boa parte dos professores são colegas da categoria administrativa.

Ao final da aula inaugural do ministro, as turmas foram misturadas entre si e ouviram a seguinte explanação do chefe de serviço de execução de curso, Rodrigo Luis Ziembowicz: “Aqui somos iguais e o sucesso depende de cada um de nós. Somos todos importantes: peritos, delegados, escrivães, agentes, papiloscopistas e administrativos. Cada um tem seu papel e somos todos a Polícia Federal”.


"Somos todos a Polícia Federal".

Valorização da carreira administrativa – A presidente do SINPECPF, Leilane Ribeiro de Oliveira, compareceu ao evento e solicitou empenho do ministro Cardozo e do diretor-geral na resolução das negociações sobre a modernização das atribuições da carreira administrativa. “Já que o Planejamento condicionou nossa valorização às atribuições, gostaria que essa questão fosse solucionada o mais rápido possível”.

Cardozo se comprometeu a receber o SINPECPF em seu gabinete nos próximos dias para tratar das demandas da carreira administrativa. O diretor-geral afirmou que reservará horário em sua agenda ainda nesta semana para discutir a questão das atribuições com o sindicato.

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar