Definida metodologia de trabalho das negociações pela reestruturação

Um encontro para traçar a metodologia e definir o cronograma de trabalhos. Assim foi a retomada das negociações sobre a reestruturação com o Ministério do Planejamento. A equipe liderada pelo secretário Sérgio Mendonça aceitou a proposta do SINPECPF de trabalhar com módulos, separando-se os principais tópicos em debate, com produção de relatório ao final de cada etapa. Desta forma, o sindicato espera preservar a memória das negociações, evitando idas e vindas no debate.

Os tópicos selecionados englobam as prioridades inseridas na discussão sobre a reestruturação. São eles:

  • Criação da nova carreira;
  • Aglutinação dos atuais cargos com inserção de todos os servidores na nova carreira;
  • Realização de novo concurso;
  • Mudança dos critérios de incorporação da gratificação de desempenho (GDATPF) na aposentadoria;
  • Amplitude salarial (ampliar a diferença entre as remunerações de início e fim de carreira);
  • Implementação de gratificações e vantagens pertinentes à categoria (tais como GSISTE, FCTs, Gratificação por Titulação, periculosidade para toda a categoria em razão de trabalho em instituição policial, etc.)

 

Haverá uma reunião por mês para as negociações. A ordem dos debates será definida pelo Planejamento. O objetivo é construir uma agenda convergente, discutindo-se primeiramente os temas nos quais o consenso é mais fácil. “Temas que irão repercutir em outras carreiras são de negociação mais complexa”, justifica Sérgio Mendonça, dando o exemplo da aglutinação de cargos. “Existem setores no governo que defendem um ‘carreirão’, enquanto outros admitem carreiras específicas. Conciliar estas opiniões não é tarefa fácil”, conclui.

Durante o intervalo entre as reuniões, o Planejamento manterá contato com o SINPECPF por e-mail, para maior celeridade dos trabalhos. Com isso, pretende-se reservar as reuniões para definições a respeito dos temas. A única advertência do Planejamento é que não há garantias de que o ponto de vista do sindicato será acatado em todos os módulos. “Negociação é assim”, ponderou a secretária adjunta Marcela Tapajós. Vale destacar que os debates levarão em conta toda a documentação juntada pelo sindicato e também os debates travados ao longo dos últimos meses.

O Ministério da Justiça se fez representar pelo assessor Edmilson Pereira, que trabalha no gabinete do ministro Cardozo. Segundo ele, há empenho da instituição em solucionar as demandas da carreira administrativa para garantir clima de satisfação no ambiente de trabalho. “A ordem é para que, se não for possível atender o todo, seja atendido ao menos aquilo que seja possível e suficiente para um bom ambiente de trabalho”, garantiu.

O sindicato alertou para a necessidade de ações rápidas do governo para solucionar as demandas. “Há cada vez mais cargos vagos e o clima organizacional está péssimo após a greve dos policiais”, avaliou a presidente Leilane Ribeiro de Oliveira. “Não podemos aceitar a ideia de que policiais passem a ser responsáveis por setores administrativos e está na hora de o governo se mexer para resolver a questão”.

O sentimento de insegurança que assola a maioria da população também foi lembrado. Para o sindicato, chegou a hora de o Governo olhar com atenção especial para os órgãos de segurança pública, sob pena do avanço da criminalidade. “A reestruturação é o primeiro passo na PF, pois coíbe o desvio de função e coloca os policiais nas ruas”, apontou Leilane. “Estamos às vésperas de grandes eventos e isso não pode mais esperar”.

Despedida de Marcela Tapajós – A reunião marcou também a despedida da secretária adjunta Marcela Tapajós do processo negocial. Ela deixa o Ministério do Planejamento para assumir cargo na Casa da Moeda.

O SINPECPF lamenta o fato, afinal Marcela é uma das maiores conhecedoras do processo negocial de nossa carreira. Sabemos ainda por fontes seguras que ela integrava ala de defensores da reestruturação, o que torna a perda ainda mais significativa.

Marcela se despediu desejando boa sorte ao SINPECPF e se colocando a disposição para ajudar no que for possível. Ela disse ter visto a categoria amadurecer ao longo das negociações e elogiou a postura do sindicato enquanto interlocutor. O SINPECPF deseja boa sorte a ela nessa nova empreitada.

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar