DG recebe SINPECPF para debater negociações com o Planejamento

O diretor-geral da PF, Leandro Daiello Coimbra, voltou a se reunir com a diretoria do SINPECPF na manhã desta terça-feira (23), desta vez para debater o andamento das negociações salariais travadas no Ministério do Planejamento. O diretor manifestou preocupação com os valores apresentados para a Condsef e revelou que irá conversar com o Ministro da Justiça ainda nesta terça para pedir que o pleito do PECPF seja visto como política de segurança pública.

Na opinião do diretor, a dificuldade em conseguir avanços na questão salarial se deve ao fato de a carreira administrativa ainda não ter sido reestruturada. “Por isso irei solicitar ao ministro a aprovação definitiva desta demanda”, revelou. O diretor avalia que enquanto a reestruturação não for consolidada, o PECPF não será visto de forma diferenciada pelo Planejamento. “A reestruturação é o que pode garantir uma mudança de tratamento. Como as negociações salariais estão complicadas para todas as categorias, precisamos garantir ao menos que a reestruturação seja concretizada”, afirmou.

Para a presidente em exercício do SINPECPF, Laira Giacomett de Carvalho Domingos, a Direção-Geral também deve se empenhar para que a proposta de reajuste para os níveis médios e auxiliar seja superior àquela apresentada para à Condsef. “A proposta oferecida à Condsef é péssima, simplesmente inaceitável. Mesmo a de nível superior está muito abaixo do que é justo e necessário. As propostas para todos os níveis precisam ser melhoradas”, disse a presidente.

A presidente ainda destacou que, caso o Planejamento realmente ofereça ao PECPF uma proposta semelhante à apresentada para a Condsef, são grandes as chances de que a categoria deflagre greve por tempo indeterminado. “Temos mantido conversas com a categoria policial neste sentido e estamos dispostos a levar nossa indignação às últimas consequências”, alertou. O diretor de administração e patrimônio do SINPECPF, João Luis Rodrigues Nunes, ressaltou que a própria Condsef já rejeitou a proposta oferecida pelo Planejamento. “Não há a menor possibilidade de aceitarmos um reajuste tão ínfimo”, ponderou.

Por fim, o diretor-geral afirmou que a direção da PF é contrária a proposta de realização de concurso temporário para o PECPF acenada pelo Ministério do Planejamento. “Queremos que o concurso seja permanente”, assegurou.

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar