Palestra esclarece dúvidas dos servidores da PF em relação à "gripe suína"

“Como se prevenir do contágio pelo vírus H1N1, causador da gripe suína?”. A questão foi o mote central da palestra Influenza A - Orientações Gerais, promovida pelo SIMED/DF e ministrada pela enfermeira Sâmela Rodrigues Souza, coordenadora de pacientes com influenza do Pronto Socorro do Hospital Regional da Asa Norte – HRAN/DF. Anteriormente previsto para acontecer no auditório do edifício sede da PF, o evento acabou sendo realizado em tendas dispostas na entrada do edifício sede, local aberto e menos propenso à disseminação do vírus.

Durante a palestra, Sâmela Rodrigues pode esclarecer várias dúvidas relativas à Influenza A, além de explicar quais medidas preventivas devem ser adotadas pelos servidores e também como proceder em caso de suspeita de contágio pela doença. Entre os pontos mais interessantes, estava a questão da utilização do álcool para limpeza das mãos. Sâmela lembrou que, embora o produto possua sim capacidade para eliminar os germes que carregam o vírus, lavar as mãos com água e sabão continua sendo uma medida mais eficaz. “Não devemos substituir a lavagem comum das mãos pela limpeza com álcool. Ele sozinho não resolve o problema”, explicou.

Sâmela também falou sobre a utilização de máscaras pela população. Segundo a palestrante, as máscaras só são efetivas em caso de contato próximo com pessoas infectadas. “Não é preciso que a população saia as ruas de máscaras. Recomendo o uso apenas para profissionais de saúde, no local de trabalho”, completou, o que mostra como é urgente a demanda dos profissionais do SIMED por materiais preventivos.

A palestrante também ressaltou que o crescimento do número de casos de Influenza A não é motivo para pânico. “A nova gripe não é mais perigosa que a gripe comum”, afirmou, para em seguida revelar que, hoje, de cada 10 casos de gripe, 8 são provocados pelo vírus H1N1. “Muitas pessoas tiveram a doença e não apresentaram sintomas mais graves, sequer necessitando de atendimento médico. Cada pessoa responde de maneira diferente ao vírus”. Apesar disso, Sâmela lembrou que as gestantes necessitam sim de um acompanhamento especial, pois o Tamiflu, principal remédio contra a Influenza A, pode causar danos à formação do bebê.

Após o evento, a presidente do SINPECPF, Hélia Cassemiro, agradeceu Sâmela pelas importantes informações. A palestra da próxima quinta-feira (27), que seria realizada no Auditório da Coordenação de Tecnologia da Informação - CTI, teve de ser cancelada, mas Flávio Boeres, chefe substituto do SIMED, garantiu que outros eventos semelhantes estão sendo planejados.

O SINPECPF está empenhado no combate à Influenza A. Confira aqui algumas dicas de prevenção e informações sobre a doença.

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar