13º Salário: bancos antecipam benefício

O ano mal começou, mas tem muita gente de olho no abono do Natal, o tão esperado 13º salário. O dinheiro pode ajudar a pagar as contas comuns de início de ano, como IPTU, IPVA e material escolar. E para atender a este público, alguns bancos estão oferecendo a linha de antecipação do benefício, com juros a partir de 2,5% ao mês. O trabalhador pode receber parte do valor agora e pagar depois.

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) estima que, no ano passado, 1,24 milhão de brasilienses receberam ao longo do ano R$ 2,4 bilhões de 13º salário.

A primeira exigência para ter o empréstimo é receber o salário pelo banco. No caso da Caixa Econômica Federal, o crédito é válido por seis meses. Ou seja, quem antecipar o abono agora terá que pagar o débito até julho. A Caixa oferece empréstimos de R$ 190 a R$ 20 mil. As taxas de juros fixadas pelo banco variam de 2,8% a 2,84% ao mês.

No Banco de Brasília (BRB) o crédito pode ser antecipado em até 150 dias, chegando ao limite de  90% do 13° salário. A liquidação do empréstimo deverá  ser feita no dia previsto para o crédito do 13° salário apresentado pela empresa.

Cuidados são necessários

O Itaú também abriu uma linha de crédito de antecipação do 13º e empresta valores de R$ 80 a R$ 5 mil. O correntista pode contratar o financiamento até 30 de novembro. A quitação deve ser feita até a data-limite para pagamento do 13º pelas empresas, ou seja, dia 19 de dezembro, em parcela única.

No Banco do Brasil a linha BB Crédito 13º Salário opera com taxa de juros de 2,55% ao mês e já registra um volume de R$ 35,7 milhões desembolsados – o que corresponde a um crescimento de 234% em relação ao mesmo período de 2007. O limite mínimo do empréstimo concedido é R$ 100 e, o máximo, R$ 5 mil.

As linhas de crédito são de fácil acesso, mas é preciso avaliar se a antecipação é vantajosa. Como perderá uma parte do valor a ser recebido com o pagamento de juros, o correntista deve definir a utilização do dinheiro. Especialistas recomendam cuidado e afirmam que as linhas são úteis se o dinheiro for utilizado para quitar dívidas mais caras, como cheque especial e cartão de crédito. “As taxas são bem menores que a do cheque especial e do cartão de crédito", afirma o economista Alcides Leite.

Precaução

Para quem está pensando em utilizar o crédito para trocar o carro ou adquirir algum outro bem, a consultora financeira Márcia Elaine da Silva Almeida recomenda a desistir da idéia. “As linhas de crédito para compra de veículo, hoje, são muito mais baratas", explica.

Na opinião de Márcia Elaine, a principal precaução que os consumidores devem tomar é o não endividamento. “É preciso ter a certeza que se vai conseguir pagar. Quem trabalha em empresa privada, por exemplo, pode perder o emprego nesse período, o que resultaria num endividamento sem data para regularização”, alerta.

A consultora destaca ainda que as pessoas que optarem por antecipar o abono, antes de assinar contrato com qualquer banco, devem pesquisar e comparar muito as taxas de juros. Outra recomendação importante é fazer uma poupança ou tentar uma renda extra para reaver o dinheiro, que só viria a partir de novembro.

Fonte: Jornal de Brasília

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar