Deputado Uldurico Pinto faz pronunciamento em defesa do PECPF

O deputado federal, Uldurico Pinto(PMN/BA),  discursou, agora a pouco, durante sessão extraordinária da Câmara dos Deputados, em defesa dos servidores do PECPF.

O parlamentar lembrou o acordo firmado com todas as categorias da Polícia Federal, em 2006, e que os servidores do Plano Especial de Cargos ficaram de fora enquanto outras categorias foram contempladas.

“Então faço este apelo ao Parlamento e ao Governo do nosso País para que se cumpra o acordo com a categoria. O valor em referência representa pouco no orçamento da Polícia Federal. Não chega a 8%”, enfatizou.

Leia na íntegra o pronunciamento:

O SR. PRESIDENTE (Arlindo Chinaglia) - Ontem, quando assumi a Presidência e comecei a Ordem do Dia, o Deputado Uldurico Pinto seria o próximo orador e não conseguiu falar. Hoje, novamente, chego para abrir a Ordem do Dia e S.Exa. é o próximo. Então, para que nem lembre algo diferente do que seja coincidência, concedo a palavra ao Deputado Uldurico Pinto, de maneira excepcional, para, em seguida, abrir a Ordem do Dia.

O SR. ULDURICO PINTO (Bloco/PMN-BA. Sem revisão do orador.) - Sr. Presidente, obrigado pelo carinho e respeito.

Quero nesta data enviar um abraço fraterno aos odontólogos do nosso País e lembrar que o piso salarial dessa categoria é uma vergonha, é baixíssimo. Mas, deixo um abraço fraterno deste Parlamento aos odontólogos.

Mas, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, o assunto que tenho a tratar é relativo aos servidores do Plano Especial de Cargos do Departamento de Polícia Federal. A reivindicação desses servidores é justa, democrática. O sindicato da categoria esteve aqui ontem, a galeria estava cheia — e agradeço a deferência do ilustre Presidente. Foi feito um acordo com o Governo, com assinatura do Ministro Paulo Bernardo; o Ministro Márcio Thomaz Bastos; a FENAPEF, representado por Francisco Carlos Garisto; Sandro Torres Avelar, da ADPF; Antônio Carlos Mesquita, da APCF; Francisca Hélia Cassemiro, do SINPECPF; Joel Zarpellon Mazo, do SINDEPOL; Creuza Camelier, da FENADEPOL, e Carlos Alberto da Costa Gatinho, da ANSEF.

O Governo Lula tem tradição em cumprir acordos. Então faço este apelo ao Parlamento e ao Governo do nosso País para que se cumpra o acordo com a categoria. O valor em referência representa pouco no orçamento da Polícia Federal. Não chega a 8%.

Deixá-los de fora é ruim para o País, é um desrespeito à categoria, ao trabalhador brasileiro.

Concluindo, Sr. Presidente, gostaria de fazer um apelo ao Ministro Paulo Bernardo para que atenda às reivindicações com a urgência que o assunto requer, não deixe esses trabalhadores perambulando sem uma solução. Esse caso jádurou bastante, o prejuízo é notório para os trabalhadores e há um grande prejuízo também para o País. A privatização dos aeroportos e de alguns serviços públicos prejudicará muito o País.

Temos que valorizar o funcionário público.

Muito obrigado, Sr. Presidente.

 

Comentários Recentes

Somente Logado!

Registrar